Brasil conquista terceiro lugar no Prêmio Malofiej 2017

0
233

Se ano passado o Brasil trouxe para casa apenas três medalhas do Prêmio Malofiej, este ano recuperamos o fôlego e nove matérias brasileiras foram premiadas levando o terceiro lugar no ranking da competição, atrás do Reino Unido, com dez, e dos Estados Unidos, com 84. O jornal italiano Corriere della Sera e o americano The New York Times vence a categoria Best of Show na 25a edição do Prêmio Malofiej com a matéria impressa “Journey of Foreign Fighters” e com a publicação online “Olympic Races Social Series”, respectivamente. O Prêmio Malofiej, a maior premiação de infografia do mundo, é organizado pela Society for News Design (SND) e acontece anualmente na Espanha. O resultado foi divulgado em 31 de março de 2017 e, das 1.334 inscrições, 155 receberam medalhas: 10 de ouro, 47 de prata e 98 de bronze.

Na edição deste ano, a produção nacional voltou a estar entre as três mais premiadas, já que em 2016 recebeu apenas três medalhas, ficando atrás de sete países. Os veículos brasileiros têm uma tradição forte no Prêmio Malofiej e costumam colocar a bandeira verde e amarela entre as mais premiadas. Antes dessa queda, há pelo menos cinco edições o Brasil ficava entre os quatro países com mais medalhas.

Os dez premiados que levaram a medalha de ouro foram The New York Times, National Geographic, The Washington Post e FiveThirtyEight dos Estados Unidos, os espanhóis La Vanguardia e El Mundo, e o jornal Corriere della Sera, da Itália. Em 2016, o júri do Prêmio Malofiej concedeu 136 prêmios, 18 a menos que em 2017, mas, este ano, 10 publicações receberam medalha de ouro – ano passado foram 13.

Na premiação especial, The New York Times ganhou o Miguel Urabayen com os melhores mapas online e impresso em The Two Americas 2016 e Trump’s America, respectivamente, e o prêmio de melhor gráfico sobre Mudança Climática e Compromisso Ambiental com ‘A Sharp Increase In ‘Sunny Day’ Flooding’. O prêmio de melhor gráfico de direitos humanos foi para ‘People who run’ na categoria impressa, da revista alemã In

Graphics Magazine, e  ‘A new age of walls’ de  The Washington Post na categoria online; e o prêmio de melhor gráfico de Igualdade e Promoção das Mulheres foi concedido à matéria online Vagina Dispatches, do The Guardian, do Reino Unido.

Confira as reportagens brasileiras premiadas:

Online:

Impresso:

  • Série de reportagens “Sempre Quis Saber”, revista Saúde é Vital (medalha de bronze)
  • Reportagem “Da terra ao pó”, revista Superinteressante (medalha de bronze)
  • Reportagem “Nascidos pra caçar”, revista Superinteressante (medalha de prata)
  • Reportagem “Os Altos e Baixos das Novas Drogas” da revista Mundo Estranho (medalha de prata)
  • Reportagem “Cada judoca com a sua pegada”, do jornal O Globo (medalha de prata)
  • Na categoria impresso, O Estado de S. Paulo levou medalha de bronze com uma reportagem sobre o acidente aéreo da Chapecoense