Polos opostos na infografia de Ciência, 1994

0
777
O Globo. 10/07/94, p.35

Como visto no último post do NUPEJOC, certos infográficos “antigos” dão pistas de que a história da infografia é complexa, não-linear. Sinalizam, precisamente por isso, que é inviável entender a evolução desse gênero jornalístico na imprensa brasileira olhando apenas para um curto período de tempo.

“A linha amarela do Rio”, tomado sozinho, indicaria um alto grau de complexidade em março de 1994; quando contextualizado, vê-se que era exceção em um cenário ainda rudimentar. Mas ele também prova que a ideia moderna do infográfico, como os vistos hoje, estava de alguma forma – e aí está a necessidade de um recorte amplo para a pesquisa – já presente àquela época.

Ideia que se repete em julho de 1994, novamente no jornal O Globo.

A editoria de Ciência e Saúde é das mais representativas em número de infográficos (e mais ainda de “tentativas de infográficos”, que chamamos, em nossa classificação, protoinfográficos) encontrados no mapeamento do NUPEJOC, feito a partir dos acervos disponíveis on-line de grandes jornais do país. Dentro dela também podemos encontrar produções tão diferentes como “O grande choque cósmico” e outras duas, abaixo, todas assinadas pela Editoria de Arte do diário carioca.

E a indicar, convivendo lado a lado, polos opostos em linguagem gráfica e complexidade narrativa na história da infografia brasileira.

O Globo. 10/07/94, p.35
O Globo. 10/07/94, p. 35
O Globo. 03/07/94, p.3 (Caderno Jornal da Família)
O Globo. 03/07/94, p. 3 (Caderno Jornal da Família)
O Globo. 05/07/94, p. 15
O Globo. 05/07/94, p. 15