Surfe também é ciência

1
1391

Com a chegada do horário de verão e o aumento nas temperaturas, uma atividade física exclusiva de cidades litorâneas, volta a ser praticada com mais frequência: o surfe. Florianópolis, onde está situado o NUPEJOC, é uma das principais localidades brasileiras para a prática do surfe. O esporte, praticado no brasil por mais de 10% da população (segundo a revista Mundo Estranho), não se aprende com rapidez. Conseguir se equilibrar em cima de uma prancha que flutua na água em movimento é algo que exige habilidade e muito treino. Compreender os fenômenos naturais que proporcionam a formação das ondas é tarefa não muito fácil de explicar apenas com palavras. Nestes casos, um bom infográfico pode auxiliar muito na compreensão destas informações. Reunimos algumas excelentes peças publicadas em diferentes meios de comunicação que trazem explicações sobre vários dos fenômenos da natureza e da ação do homem ligados ao Surfe.

O Segredo está no Fundo – Este infográfico da Revista SuperSurf mostra como o fundo do mar (aonde quebram as ondas) influencia na formação das ondas. Existem três tipos básicos de ondas: as de Beach Break, onde o fundo é de areia e está em constante transformação devido ao movimento constante das correntes (a grande maioria das praias brasileiras possui esse tipo de fundo); as de Reef Break, em que o fundo é composto por corais (e onde quebram algumas das mais famosas ondas do mundo, como Pipeline e Jaws, no Hawaii e Teahupoo, no Tahiti); e as de Point Break, onde o fundo é formado por uma camada de pedras (como o canto direito da Praia da Silveira, em Garopaba).

Tipos de Fundos

 

Antes de aprender a ficar em pé numa prancha, é necessário aprender a remar sobre ela. O que parece tarefa simples, na verdade, exige bastante equilíbrio, força e técnica. É necessário encontrar o ponto central de equilíbrio na prancha e mantê-lo com o movimento, que é constante, devido às ondulações do mar. Neste infográfico de Tetsuya Kenshi, é possível entender como são feitos os movimentos da remada, a posição que a mão deve se encontrar, as similaridades das braçadas em relação à natação, dentre outras informações. O infografista mostrou ainda, alguns erros comuns em surfistas iniciantes e o que fazer para evitá-los.

Remada

 

Outra peça que selecionamos para este post diz respeito a manobras e terminologia utilizada no meio esportivo, referentes a ondas e pranchas. Desenvolvida pela editoria de arte do Diário Catarinense (DC), a infografia a seguir traz belas ilustrações e informações. Esta peça, criada por Fabio Nienow, Felipe Parucci e Renato Nascimento e publicada no último verão, levou três dias para ser produzida. Foi utilizado um surfista como modelo para as ilustrações (as fotos foram feitas enquanto o modelo, também jornalista do DC, praticava surfe em uma das praias de Florianópolis), que também auxiliou a equipe de infografistas com informações sobre o tema. A peça pode ser acessada na página de Fabio Nienow.

Manobras, pranchas e ondas

 

Neste link, é possível visualizar ainda outros infográficos e peças gráficas publicadas sobre o surfe.

Para os que pretendem se aventurar na prática do surfe neste verão, a equipe do Nupejoc recomenda que busquem se informar o máximo que puderem sobre todos os aspectos que envolvem o surfe: as praias, o mar e sua grande variação de correntes, o vento, o equipamento, o condicionamento físico, a cultura local e a ética no esporte. Se você é um iniciante, procure surfar com alguém mais experiente ou vá atrás de escolas de surfe. Leia bastante sobre o assunto também. Boa leitura e boas ondas!

 

Comentários