Publicações nem tão científicas assim

1
232

Segundo Ezequiel Ander-Egg (1978), a ciência é um conjunto de conhecimentos racionais, sistematizados e verificáveis, obtidos através de métodos e que se referem a objetos de uma mesma natureza. Quando enviamos algum artigo para publicação em jornais ou revistas científicas, é de se esperar que a nossa pesquisa seja objeto de análise rigorosa. Assim, seu artigo precisa obedecer a uma série de critérios e requisitos para que ele mereça ser digno de publicação. No entanto, o que acontece é que diversas publicações científicas possuem tão pouco zelo pela ciência que estão aceitando artigos sem sequer lê-los. Sabendo disso, o jornalista e biólogo John Bohannon, resolveu buscar saber o quanto isso é verdade.
Bohannon escreveu um artigo falso, utilizando dados e informações não-verdadeiras, através de métodos sem fundamentação científica. Foi além. Inventou nomes esdrúxulos tanto para o autor do artigo quanto da instituição a qual pertence. Enviou para centenas de publicações científicas e obteve um resultado mais que inesperado.

Science Magazine
A maioria das publicações para as quais foram enviadas cópias dos artigos aceitou o trabalho. De 304 publicações, 157 decidiram publicar o artigo falso. Uma constatação surpreendente até para quem já sabia que esse tipo de situação existe, mas não em tamanha escala.
John Bohannon utilizou diversos critérios para a sua pesquisa. Ele reescreveu o mesmo artigo diversas vezes para evitar maiores problemas. O objetivo era criar um trabalho com erros grosseiros, como os de natureza metodológica e gramatical. O formato da pesquisa seria o seguinte: Molécula X de espécies de líquens Y inibe o crescimento de célula cancerígena Z. Foi desenvolvida uma base de dados com nomes de móleculas, líquens e células cancerígenas, que foram jogados em um programa de computador, gerando centenas de artigos únicos. Fora isso, os artigos eram idênticos.
Os artigos foram enviados como sendo de pesquisadores africanos. O inglês do texto também teve de ser manipulado, já que o original havia sido criado por alguém com inglês nativo, o que poderia atrair suspeitas. Os textos foram, então, traduzidos para o francês no Google Translator, e traduzidos de volta para o inglês. Após algumas maiores correções, o texto falso estava pronto para ser submetido.
Das publicações que completaram o processo de revisão do artigo, 82% o aceitaram. Apenas 36 das 304 submissões geraram comentários que reconheciam a falta de qualidade e critérios científicos do artigo enviado. Dezesseis dessas publicações aceitaram o artigo mesmo depois dos comentários negativos dos editores.
O artigo na íntegra de da revista Science de John Bohannon, que revelou os problemas na qualidade da selecção de artigos das revistas científicas, pode ser acessado aqui.
Ainda pegando o gancho do assunto, neste link você pode saber mais sobre o esquema de citações de revistas científicas brasileiras, descoberto pela Thomsom Reuters.

REFERÊNCIA:

ANDER-EGG, Ezequiel. Introducción a las técnicas de investigación social: para trabajadores sociales. 7.ed. Buenos Aires : Humanitas, 1978.

Comentários